Educação

Rumo aos seus 80 anos de fundação, Ananindeua, com seus quase 500 mil habitantes, nunca priorizou a EDUCAÇÃO SUPERIOR como meta de Governos e, a EDUCAÇÃO BÁSICA como conquista de sua população. É tempo de ver Ananindeua do tamanho que a cidade é, sem temer os enfrentamentos que as políticas sociais que determinam o desenvolvimento, desafia os homens públicos na região metropolitana do Estado do Pará.

Desde os anos 90, a segunda maior cidade do Pará e município estrategicamente localizado nos limites territoriais de Belém, com suas área residências horizontais, distrito industrial com o eixo- rodoviário que permite a capital paraense ser mais atraente aos investidores, por terem, Ananindeua como base logística de suas operações, não houve por parte de seus governantes, visão e investimento na formação profissional de uma geração de “ananins” e por maior perda, a não implantação de um projeto educacional que permitisse agora,no limiar do século XXI, a cidade que Ananindeua precisa ser,como extensão metropolitana do centro de decisões do estado e município modelo nas conquistas sociais, econômicas e de cidadania, que nos permita ser de uma cidade,mais humana,progressista e de oportunidades para sua gente.

Os números e estatísticas de Ananindeua na área educacional, são pífios. Marcada por diversos e pequenos projetos de educação à distância, mas sem tecnologia de dados para fomentar este importante setor que oferece para as diversas camadas sociais o ensino superior com menor custo e celeridade, Ananindeua necessita de uma total transformação na educação.

Considerando o outro fator, de busca de oportunidades e acesso ao mercado de trabalho e às instituições educacionais federais e estaduais, cerca de 300 mil pessoas, se deslocam diariamente rumo a Belém, saídas da região metropolitana, em sua grande maioria, de Ananindeua. Mais de 4 horas do dia, são perdidas no fluxo dessa massa populacional, massacrando o indivíduo dentro de equipamento de transporte obsoletos e incapazes de permitir condições favoráveis para que este indivíduo, chegue em condições de se dedicar ao seu ofício ou aprendizado com a excelência que suas atividades profissionais ou estudo, necessitam.

EDUCAÇÃO PARA UMA GERAÇÃO QUE QUER MAIS.

Um plano de Gestão, que tem por base estruturante, oferecer ao município de Ananindeua, especialmente à sua “geração millenium” uma educação de nível superior de qualidade.

 

EDUCAÇÃO NÍVEL SUPERIOR

O aproveitamento de área já determinada em anos anteriores para a instalação dos campi UFPA e UEPA nas imediações do Curió-Utinga , é uma prioridade, já a partir de 2021,embasada em um projeto de lei que busca do Estado e da União,os recursos e toda as necessidades de implementação.

EDUCAÇÃO PROFISSIONALIZANTE

Implementação a partir de projeto de lei que considera as iniciativas público privadas, de plantas educacionais de formação profissionalizante, tornando Ananindeua, a cidade que gera mão de obra qualificada para os diversos setores industriais, de pesquisa, operacional marítimo, ferroviário e aéreo, destinando-se a educar e formar para os diversos modais de logística que se instalam na região metropolitana, portos e cidades agroindústrias à proximidade de Ananindeua.

EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL, ESPECIALIZADA E DE VOLUNTARIADO.

Implementação de uma escola de excelência, que oportuniza aos adolescentes o ingresso por meritocracia, com seu plano educacional baseado nos moldes as escolas militares e no exitoso projeto da Escola Rego Barros, instalada secularmente em Belém.

Educação especializada para crianças e adolescentes dos grupos especiais, com metodologia AEE, com formação continuada através de dinâmicas que utilizam processos lúdicos, música e esporte .

Neste mesmo ambiente, um projeto de lei, busca ter no município, uma das primeiras plantas educacionais do norte do Brasil, como extensão do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado “Pátria Voluntária”. Uma escola de vida e saber, que acolhe jovens de toda região metropolitana em regime de semi internato e oferece ao mundo, uma geração de paraenses que aprenderam pelo associativismo e voluntariado, a se dedicarem à construção de uma cidade, um estado – Pará, um Brasil e um mundo melhor, com mais humanidade,  igualdade e oportunidades, realidades discriminatórias nos dias em que vivemos.

“A educação é a política social que deve ter de gestores e parlamentares, uma total dedicação de investimentos e processos, como se dela surgisse a razão do viver.

Sábio, eloqüente em suas convicções de humanidade, o indivíduo é a mais poderosa transformação do mundo para melhor.” Osmar Nascimento



×